Stress e doenças cardíacas

Pessoas com stress

O stress pode fazer com que seja mais difícil para o nosso organismo lutar contra a doença das gengivas porque pode inibir o sistema imunitário e permitir a proliferação das bactérias que causam as doenças das gengivas.

Existem estudos que sugerem que existe uma relação positiva entre a doença das gengivas e fatores psicológicos tais como o stress, a angústia, a ansiedade, a depressão e a solidão.

É necessária uma investigação mais profunda para compreender a relação entre o stress e a doença das gengivas. O stress também pode provocar hábitos que conduzem às doenças das gengivas, como fumar, ingerir alimentos pouco saudáveis, esquecer-se de lavar os dentes corretamente e não consultar o dentista.

No entanto, as pessoas que reduzem o stress podem reduzir o risco de doença das gengivas.

Pessoas com doenças cardíacas

Está a prestar-se cada vez mais atenção ao facto da doença das gengivas poder estar associada às doenças cardíacas. No entanto, os dados que apoiam esta teoria ainda não são claros.

Uma teoria defende que as bactérias da boca podem entrar na corrente sanguínea como consequência da doença das gengivas através das gengivas inflamadas e infetadas.

Acredita-se que estas bactérias podem fixar-se nas placas de gordura dos vasos sanguíneos do coração e contribuir para a formação de coágulos sanguíneos. Os coágulos sanguíneos podem limitar o fluxo de sangue e provocar ataques cardíacos, especialmente em pessoas que sofrem de um espessamento das paredes das artérias devido à acumulação de lipoproteínas.

Pessoas que tiveram ataques cardíacos

Existem estudos de investigação que demonstram que as pessoas com um diagnóstico de isquémia cerebrovascular aguda (perda da função cerebral devido a ausência de irrigação sanguínea) têm uma maior probabilidade de sofrer uma infeção oral do que as do grupo de controlo.